Agroceres PIC inaugura UDG no Paraná

Agroceres PIC inaugura Unidade de Disseminação de Genes no Paraná e amplia sua capacidade de fornecimento de Genética Líquida

 

Com investimentos de R$ 18 milhões, UDG Laranjeiras do Sul será a maior e mais moderna da América Latina. O empreendimento faz parte do projeto de expansão do negócio de Genética Líquida da empresa e permitirá a Agroceres PIC ampliar o atendimento a seus clientes e acelerar a velocidade de disseminação de genes superiores nas granjas brasileiras. Uma nova UDG será inaugurada em Minas Gerais até o final do ano.

 

A Agroceres PIC inaugurou em 1 de junho, no município de Laranjeiras do Sul, no Paraná, uma nova Unidade de Disseminação de Genes (UDG) no Brasil. O empreendimento é mais um passo importante dentro do projeto de expansão de seu negócio de Genética Líquida e permitirá a empresa não só ampliar o atendimento a seus clientes, como acelerar a velocidade de disseminação de genes superiores nas unidades de produção brasileiras.  

Com investimento de aproximadamente R$ 18 milhões, a UDG Laranjeiras do Sul é a maior e mais moderna de toda a América Latina. A unidade possui capacidade para alojar 800 reprodutores de alto valor genético e potencial para processar 1,2 milhão de doses inseminantes por ano. Com esse volume, se dirigido exclusivamente para atualização genética de linhas maternas, a UDG Laranjeiras do Sul poderia atender um plantel estimado de 800 mil fêmeas ou produzir 20 milhões de cevados ao ano, o que representa cerca de metade da produção brasileira.

“A inauguração da UDG Laranjeiras do Sul  é a consolidação de um trabalho que foi semeado há seis anos quando decidimos introduzir o conceito de Genética Líquida no Brasil. Esta nova unidade nos permitirá ampliar o suporte aos nossos clientes, assegurando acesso a uma tecnologia capaz de agregar mais qualidade genética a seu plantel e, consequentemente, mais eficiência e rentabilidade a seu negócio”, afirma Alexandre Furtado da Rosa, Diretor Superintendente da Agroceres PIC. 

A UDG Laranjeiras do Sul foi construída para atender a demanda da rede de multiplicadores de material genético Agroceres PIC, de parceiros Multiplicadores de Rebanho Fechado (MRF) e demais clientes instalados nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As primeiras doses de Genética Líquida da unidade paranaense devem chegar ao mercado no mês de agosto.

Com essa nova UDG, a Agroceres PIC consolida a maior e mais avançada estrutura de Genética Líquida da América Latina, com capacidade total instalada para produzir anualmente mais de 3 milhões de doses inseminantes ao ano. De acordo com Furtado da Rosa, mais uma UDG será inaugurada pela empresa até o final deste ano, em Itabirito, Minas Gerais.

 

Centro de excelência tecnológica

 

A UDG Laranjeiras do Sul possui mais de 6,5 mil m2 de construção e está instalada em uma área total de 40 hectares. Destes, 18 hectares são destinados à Área de Proteção Permanente (APP), garantindo o completo isolamento da produção e o máximo status de biossegurança.

Concebida a partir dos mais modernos parâmetros construtivos e tecnológicos, pode ser comparada as UDGs mais avançadas do mundo. Os ambientes são totalmente climatizados e controlados com pressão de ar positiva, conceito inédito no País. Filtros de ar microbiológicos impedem a entrada de agentes infecciosos. Tudo isso monitorado em tempo real por um sistema de Gestão de Ambiência.

Nas etapas de coleta, análise e processamento do sêmen tudo é feito seguindo rigorosos protocolos de qualidade genética e sanidade. De última geração, o laboratório possui equipamentos sem similares no Brasil. Também não há contato entre os profissionais que trabalham com os animais e no laboratório. A transferência das doses, por exemplo, é feita via sistema pneumático, impedindo assim, contaminação cruzada.

Uma vez produzidas, as doses são armazenadas em salas climatizadas. Para a expedição, transporte e entrega do produto, a Agroceres PIC desenvolveu um sistema logístico inédito e exclusivo, chamado GL-Log.  O GL-Log integra todas as etapas produtivas e de entrega da Genética Líquida e permite monitorar e controlar diferentes variáveis envolvidas nos pedidos, expedição e transporte do produto, assegurando rastreabilidade e máxima qualidade e segurança das doses, desde sua saída da UDG até a chegada às unidades de produção dos clientes.

A entrega das doses é feita por uma frota de veículos equipada com conservadoras próprias para sêmen, com temperatura interna rigidamente controlada, rota pré-estabelecida a partir de critério sanitário e rastreados via satélite.

 

Dupla quarentena e gestão genética

 

A UDG Laranjeiras do Sul possui ainda um sistema de dupla quarentena para 160 animais, certificada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). São dois galpões (totalmente climatizados e equipados com filtragem de ar) que garantem total segurança sanitária e maior fluxo genético à unidade.

O valor genético dos reprodutores em coleta também é rigorosamente monitorado. Para tanto, a UDG Laranjeiras do Sul vai utilizar um programa de Gestão Semanal da Evolução Genética dos animais. A reposição dos machos reprodutores será feita com base na metodologia de Tempo Ótimo de Descarte, via gerenciamento de índices e com taxa de reposição anual maior que 100%. Isso significa que somente reprodutores do topo da pirâmide de melhoramento genético serão utilizados para a coleta.

“Com mais essa moderníssima UDG reafirmamos nosso compromisso de contribuir com a evolução da suinocultura. Nosso foco é atender bem nossos clientes, oferecendo soluções inovadoras”, afirma Furtado da Rosa. “Com a Genética Líquida que sairá destas instalações o produtor poderá promover a atualização genética do seus planteis de forma contínua, sem a necessidade de manter em sua propriedade a estrutura de uma central. Com isso, ele pode voltar seu foco àquilo que sabe fazer de melhor, que é produzir suínos”, conclui.